Viver - Moda

Com apenas R$ 3 mil, jovens criam grife de moda masculina que hoje fatura R$ 20 milhões

1 de Abril de 2021

Dois amigos que cresceram juntos começaram, com poucos recursos, a confeccionar roupas para vender aos colegas nos corredores e nas salas de aulas da faculdade. O negócio cresceu rapidamente, foi além das fronteiras acadêmicas e conquistou em cheio a população da pequena cidade de origem, revolucionando o seu jeito de vestir.

Parece roteiro de filme, mas essa é a história de dois jovens de Papagaios e Maravilhas, municípios mineiros com 15 e 7 mil habitantes, engajados, criativos e com um sonho em comum. Inspirados nos anjos serafins, conhecidos como os mais próximos de Deus, Fillipe Reis Valadares, de 29 anos, e Andrei Wolker, de 27 anos, criaram a grife de moda masculina Serafine.

A ideia de empreender surgiu em 2015 quando os dois amigos, que já gostavam de se vestir bem, perceberam que todos os estudantes seguiam o mesmo estilo. Então, porque não apostar no segmento? Foi aí que buscaram ajuda de amigos e fornecedores que pudessem produzir as peças desejadas.

Tendo como referência grandes marcas que existiam no mercado, a dupla fundou a Serafine com apenas R$ 3 mil e deram os primeiros passos vendendo para amigos e alunos da faculdade. “Esse período foi importante para validar a ideia da marca entre o público-alvo e a missão de fornecer produtos com um alto padrão de qualidade e estampas exclusivas que transmitam atitude, alegria e estilo”, conta o CEO da marca, Fillipe Valadares.

Foi a partir da constatação de alguns amigos sobre a escassez de opções locais com uma proposta jovem, lifestyle e, principalmente, original, que eles desenvolveram um conceito voltado para o crescimento nas cidades de interior. “O mercado de vestuário masculino ainda é pouco explorado, em especial, em cidades do interior, onde, em geral, não há lojas de moda masculina exclusiva. Esse foi um dos pontos que contribuiu para a nossa expansão por meio de franquias já no ano seguinte”, explica Valadares. 

- Desde o início, tivemos uma grande aceitação. Vendemos toda a produção e começamos a crescer rapidamente. Com o formato de expansão, em 2016, nós criamos o nosso modelo de franquias. Hoje, com apenas cinco anos de fundação, contamos com uma rede de 45 lojas, sendo três próprias e as demais franqueadas, e estamos presentes em mais de 100 lojas multimarcas pelo país. Seguimos fortalecendo a Serafine, ampliando e somando cada vez mais para o nosso mercado. Começamos com um sonho, cinco anos se passaram e não paramos de sonhar – revela Valadares. 

A expansão segue a todo vapor e agora, Fillipe planeja levar o negócio para outros estados. A empreitada já começou por Mato Grosso, Espírito Santo e Pará, com projeto para abrir em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina. Apesar da pandemia, que dificultou a obtenção de matérias-primas, a rede fechou 2020 com um faturamento de mais de R$ 20 milhões. Para este ano, são esperados R$ 30 milhões e a abertura de 20 unidades. 

- O sucesso do negócio pode ser atribuído ao bom relacionamento da rede com nossos franqueados. Possuímos uma política de contato mais próxima e direta, buscando sempre crescer lado a lado. Aqui na Serafine, sempre buscamos dar voz aos franqueados e funcionários. Acredito que chegamos aonde estamos hoje porque caminhamos juntos - descreve Valadares. 

Desconstrução e transformação social pela moda 

Um dos pilares da Serafine é a conscientização masculina por meio da moda, um propósito que tem sido construído e fortalecido ao longo do tempo em diversas campanhas. Em parceria com o Instituto Dom Quixote (IDQ), focado na produção de projetos sociais, a marca tem realizado um conjunto de ações baseado na responsabilidade social e incentivo à arte. A primeira iniciativa foi a revitalização de alguns muros das cidades de Divinópolis, Pará de Minas e Belo Horizonte com a colaboração de grafiteiros da região. A ideia da ação é incentivar a arte e levar cor, alegria e vida para as cidades. Além disso, a marca busca apoiar artistas que estão no início da carreira, dando voz a eles. Outra ação será o reflorestamento de um antigo aterro sanitário da cidade de Divinópolis. A cada 5 bonés da marca vendidos, uma muda de árvore será plantada. Ao todo, a estimativa é de plantar 12 mil mudas. 

Franquia 

Para quem tem interesse em realizar o sonho de ter o seu próprio negócio, a grife disponibiliza três modelos de franquia, Start, Pró e Master, elaborados para atender municípios de diferentes tamanhos e necessidades, com investimento inicial a partir de R$ 110 mil. 

Mais informações em www.srfn.com.br/franquias  

Comentários
Assista ao vídeo
cture-in-picture" allowfullscreen>